• Slide 3
  • Slide 1
  • Slide 2
  • Slide 4
  • Slide 5
  • Slide 6

Notícias Ecclesia

Apresentação do Senhor

Festa da Apresentação do Senhor
Diante da Palavra

Vem Espírito Santo, ajuda-me a estar inteira diante da Palavra onde Tu te manifestas.

Evangelho segundo S. Lucas 2, 22-40
Ao chegarem os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém,
para O apresentarem ao Senhor, como está escrito na Lei do Senhor: «Todo o filho primogénito varão será consagrado ao Senhor», e para oferecerem em sacrifício um par de rolas ou duas pombinhas, como se diz na Lei do Senhor. Vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão, homem justo e piedoso, que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava nele. O Espírito Santo revelara-lhe que não morreria antes de ver o Messias do Senhor; e veio ao templo, movido pelo Espírito. Quando os pais de Jesus trouxeram o Menino para cumprirem as prescrições da Lei no que lhes dizia respeito, Simeão recebeu-O em seus braços e bendisse a Deus, exclamando: «Agora, Senhor, segundo a vossa palavra, deixareis ir em paz o vosso servo, porque os meus olhos viram a vossa salvação, que pusestes ao alcance de todos os povos: luz para se revelar às nações e glória de Israel, vosso povo». O pai e a mãe do Menino Jesus estavam admirados com o que d’Ele se dizia. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua Mãe: «Este Menino foi estabelecido para que muitos caiam ou se levantem em Israel e para ser sinal de contradição; – e uma espada trespassará a tua alma – assim se revelarão os pensamentos de todos os corações». Havia também uma profetiza, Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada e tinha vivido casada sete anos após o tempo de donzela e viúva até aos oitenta e quatro. Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia, com jejuns e orações. Estando presente na mesma ocasião, começou também a louvar a Deus e a falar acerca do Menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Cumpridas todas as prescrições da Lei do Senhor, voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré. Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele.

Caros amigos, vamos aprender com Simão e Ana a preparar o encontro de cada dia com o Senhor. E deixar que a família de Nazaré nos leve a viver o dia a dia como uma grande oportunidade de crescimento em sabedoria e graça.

Interpelações da Palavra
“deixareis ir em paz o vosso servo, porque os meus olhos viram a vossa salvação...”
Agora Simão pode ir em paz, morrer em paz, porque viu o que sempre desejou ver: o salvador!
Senhor, o que é que eu que desejo? Desejo ver-te? Estou à espera de ver-te?
Que abertura a de Simeão para ver naquele menino o salvador! Uma criança, que simplesmente vive confiada nos braços dos pais, e que apresentam ao Senhor. Simeão vê o salvador! Jesus ainda não fez nada, não fez obras nem curou, nem falou... Jesus é salvador porque nasceu para nós, porque viveu como nós, cresceu e aprendeu a ser homem como nós, e assim abriu-nos a possibilidade de sermos um com Deus em tudo o que vivemos!

“Não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia”
Ana também vive alimentando o desejo de estar com Deus, vive sem se afastar do templo, isto é, sem se afastar da Sua presença! Atrai-me ver uma mulher que não se afasta da presença de Deus, não por medo, mas porque ama, porque se sente protegida e amada por Ele. Esse desejo também se traduz numa atitude de serviço constante. Vive dedicada a Ele. E se nós vivêssemos servindo a Deus, na humanidade de hoje, noite e dia?

“Voltaram para a Galileia, para a sua cidade de Nazaré.”
Há dias especiais na nossa vida que marcam etapas de crescimento importantes, como a primeira comunhão, o crisma, o casamento, um retiro, um encontro, uma peregrinação... Mas o nosso crescimento de fé joga-se no dia a dia, quando voltamos para a nossa “Galileia”, para a nossa cidade. Jesus não saltou essa etapa de vida, nem apareceu já crescido. Jesus deu-se tempo para crescer, para encher-se de sabedoria, e rosbustecer-se, para que nós aprendamos a valorizar os nossos dias às vezes tão iguais ou tão rotineiros, outras vezes tão cheios e preenchidos. A sabedoria é o dom de “saber viver” em Deus, na bondade, na verdade e na beleza. ainda que não se entendam muitas coisas... E isso aprende-se praticando no dia a dia, no exercício de estar presente em cada momento, em cada circunstância, e também nos momentos de paragem, de contemplação do que vivemos, das pessoas, da criação que nos envolve...

Rezar a Palavra e contemplar o Mistério

Pai Bom, diante de quem hoje nos apresentamos, ajuda-nos a estar na Tua presença
com o que temos e somos, com o que não temos e não somos.
Aumenta o nosso desejo de ver-Te! De ver-te no pequeno, na lentidão do nosso crescimento,
na nossa humanidade frágil e bela ao mesmo tempo.
Que cada dia aprendamos a saborear a vida como é, o que traz de doce e de amargo,
e aí nos faças crescer em sabedoria e graça. Amén.

Viver a Palavra
Vou aprender a parar e a saborear cada encontro do dia a dia.

Filipa Amaro, FMVD

Newsletter

Receba as nossas novidades.
Subscreva a nossa Newsletter:

© 2013 SFRJS Todos os direitos reservados