• Slide 3
  • Slide 1
  • Slide 2
  • Slide 4
  • Slide 5
  • Slide 6

Notícias Ecclesia

Epifania do Senhor – Ano A

Domingo da Epifania do Senhor – Ano A

Diante da Palavra
Vem, Espírito Santo, ilumina-me para que esteja atento às manifestações da Tua presença.

Evangelho segundo S. Mateus 2, 1-12
Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O». Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou-lhes onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-l’O». Ouvido o rei, puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho.

Caros amigos e amigas, a Palavra de Deus, neste domingo, volta o nosso olhar para a verdadeira Estrela que deve orientar a nossa vida. Tal como os Magos, deixemo-nos iluminar, guiar e transformar pelo nosso Deus que veio habitar no meio de nós.

Interpelações da Palavra

“Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe…”
Entraram sem impedimentos. A porta estava aberta, ou pelo menos sem trancas. É assim a casa do Senhor! Sempre aberta a quem dela se aproxima. Saibamos nós abrir as “portas a Cristo”, como nos exortava São João Paulo II. Deus, que guia o curso dos astros, não há de ser a luz que guia o curso da nossa vida? É preciso deixar-se iluminar. “Eu sou a Luz do mundo!” Os Reis Magos deixaram-se guiar e encontraram o Menino com Maria, Sua Mãe. Quão deslumbrados não terão eles ficado! Quem pode descrever as maravilhas que Deus realiza naqueles que se deixam encontrar pelo Ele?

“… prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes…”
Perante tal cenário de humildade, pobreza, e amor, não tiveram outra atitude senão a de se prostrarem em adoração. Ali estão os reis, de joelhos, a adorar o Deus-Menino. E para além da adoração prestada, dos presentes oferecidos, entregaram-se a si mesmos. O seu reinado termina ali. Tudo perde poder, perante o Todo-Poderoso. Encontraram o Rei dos reis, o Senhor dos senhores. Encontro inefável! E nós, certamente, andamos e queremos perseverar na procura do Rei dos reis; queremos, igualmente, adorá-L’O e oferecer-Lhe a nossa vida!

“…regressaram à sua terra por outro caminho.”
Os Magos, iluminados por Cristo, mudam a direção das suas vidas. Regressam por outro caminho. É assim! Quem faz a experiência de Deus na sua vida, sai, inevitavelmente, transformado. O rumo a tomar tem de ser outro, tal como o dos Magos. Podemos também recordar o encontro de Jesus com Zaqueu; a transformação ocorrida na Samaritana aquando o seu encontro com Jesus à beira do poço de Jericó, podemos até recordar algum momento da nossa vida em que, depois de nos termos deixado olhar por Jesus, saímos renovados, transformados. No encontro com Jesus, há sempre uma epifania que nos desinstala, que nos leva a seguir os passos d’Aquele que contemplámos. Ponhamo-nos, pois, a caminho! Levemos essa Luz a tantos corações que dela precisam!

Rezar a Palavra e contemplar o Mistério
Senhor, tal como os Magos vou perguntando: Onde estás?
Sei que estás em mim, no outro, no doente, no pobre, no prisioneiro, na criança, no velho…
Sei que estás… mas ando sempre à Tua procura.
És o ausente sempre presente, o visível, mas nunca visto!
Quero encontrar-Te! Quero entrar na Tua casa e encontrar-me Contigo e com a Tua Mãe
Senhor, dá-me um coração capaz de ir aonde quer que Vás,
por onde quer que isso me leve para fazer deste ano, um ano Novo.

Viver a Palavra
Ao longo da semana, vou manifestar o Amor de Deus visitando alguém que se encontre mais só,
a precisar de ajuda…

Ir. Mª da Graça Nóbrega (Apresentação de Maria)

 

Newsletter

Receba as nossas novidades.
Subscreva a nossa Newsletter:

© 2013 SFRJS Todos os direitos reservados